logotipo_litura


Artigos e Comunicações por ordem alfabética
        

Foram encontratos 129 registros, página 5 de 13
El Trueno y el trazo
O presente texto é resultado de um trabalho apresentado na plenária “Premières ponctuations” do IX Congresso da Associação Mundial de Psicanálise “Un real para el siglo 21”, Paris, abril 2014 (em espanhol).
Entre desejo e gozo: a ética da psicanálise segundo Freud e Lacan
Uma da teoria das pulsões visando a introduzir a diferença proposta por Lacan entre desejo e gozo: “A pulsão de morte não é portanto uma malignidade originária, mas um princípio que não age sem o seu oposto, estes dois elementos antagônicos fundam o homem. Nada indica-lhe assim o que é bom ou mal. O gozo não é bom ou mal em si mas constitui o horizonte segundo o qual os objetos bons ou maus vão se situar.”
Entrevista sobre o feminino
Entrevista concedida a Eva-Lilith (Boletim da VIII Jornada da NEL) sobre o feminino. Em espanhol.
Estabilizar?
“O que é levar uma vida estável? Como esta estabilidade incluiria os transtornos que dão vida a uma história? Uma estabilização pode ser um objetivo digno para o tratamento de alguém sujeito às catástrofes da loucura?” Apresentação e conclusão do livro Caminhos de estabilização nas psicoses, Rio de Janeiro, ICP-Andamento.
Estamira e o secretário
Nesse artigo, uma personagem é abordada. Ela surge do encontro de um diretor de cinema com uma mulher, Estamira. Da personagem, nada de conclusões universais poderão ser extraídas, e, justamente por isso, sua figura se presta a nos ensinar sobre o que está em jogo para o psicótico quando é preciso passar para o universal e imediatamente inteligível algo do estranho e indizível de uma singularidade. A partir de algumas referências de Lacan, desenha-se qual poderá ser o parceiro a secretariar o psicótico em seu percurso do radical singular ao universal. Para mais visite o seminário “Lições da loucura”.
Être et savoir
Palavra plena e palavra vazia segundo Lacan; saber, sentido, interpretação e poesia; a partir do Seminário “l’insu que sait...” de Lacan (em francês).
Fazer análise: do fútil ao fato
Interrogação sobre os princípios do dispositivo analítico com base na conferência “A psicanálise em suas relações com a realidade” de J. Lacan. A contraposição entre “ato” como “um fato de dito” que se funda em um dizer a princípio fútil e “futilitarismo” de hoje é o centro de gravidade do texto.
Figuras do outro (na instituição, na psicose, na psicanálise)
Uma vez definido o Outro como ‘aquele com quem se joga uma partida crucial’, “o Outro desta fala será o de uma comunidade de recém-chegados ao campo psicanalítico, como suponho que a maioria aqui seja. A pergunta será então quem é o Outro de cada um destes três: da instituição, do psicótico e do analista“.
Fora do discurso
Um difícil parágrafo de um difícil texto de Lacan, o “Aturdito”, será desdobrado por fornecer indicações precisas sobre a interpretação. Nos limites deste artigo, visaremos a relação por ela estabelecida entre interpretação e psicose a partir da teoria lacaniana da alucinação.
Furos
Retorno sobre o tema topológico do furo, explicitado por J. Lacan em seu Seminário 23 como orientação clínica e examinado em “Cogitações sobre o furo”. Desta vez a linha mestra foi reapresentar o tema em suas ligações com a atualidade da ciência a partir do “caso Jernigan”. Parte deste texto foi retomada em meu livro “Restos – uma introdução lacaniana ao objeto da psicanálise.
Primeira 1234 5678910111213Última

 



LITURA.COM.BR - Todos os direitos reservados - 2010
Webdesign: 'sandra go.ber.
Webdeveloper: RodrigoMDSantos